Cultivo de couve galega

Cultura da couve galega


A couve galega Brassica oleracea é cultivada pelas suas grandes folhas verdes escuras, com sabor forte, pronunciado e ligeiramente amargo. Trata-se de uma hortaliça que pertence a família botânica das brássicas, com folhas lisas ou crespas, um caule recto que pode atingir os 60 a 100 centímetros, ou ultrapassar. É muito resistente às condições climáticas e apresenta com um tempo indefinido de produção.
É particularmente valorizada pela alta rentabilidade, propriedades medicinais e qualidades nutricionais, a couve galega é fonte importante de cálcio, sendo mais rica neste mineral que o leite.
Entra em muitas receitas e ocupa um lugar muito importante na dieta mediterrânica. É usada na confecção da sopa mais apreciadas de Portugal, o famoso caldo verde e é o acompanhamento de eleição da feijoada brasileira.
Em muitos locais é cultivada com o fim de enriquecer  a alimentação dos animais domésticos.


Solo e localização da couve galega


Cresce melhor em clima ameno  ou frio, durante os períodos de calor, a couve reduz o crescimento e as folhas apresentam qualidade inferior.
No geral as couves apreciam solos com boa capacidade de retenção de água e simultaneamente com uma boa capacidade de drenagem. Desenvolvem-se mal em solos ácidos nos quais estão mais susceptíveis a doenças como a potra. Os solos com o pH compreendido entre os 6 e os 6,5 são os ideais.
Prepare o solo do canteiro com  estrume bem curtido.
Caso opte por adubos químicos pode incorporar no solo 7-14-14 enriquecido com boro, este micronutriente é importante para  o desenvolvimento equilibrado da couve, a ausência deste elemento manisfesta-se com a atrofia do crescimento da planta e consequentemente à sua sua morte.
A couve galega pode ser cultivada em vaso com um minimo de 25 centímetros de diâmetro.

Sementeira e plantação da couve galega


É importante salientar que se deve fazer a rotação de culturas, não é aconselhável repetir o cultivo da couve ou de plantas da mesma família no mesmo local.
Efetuar a sementeira em canteiros pouco profundos. A germinação ocorre ao fim de 5 a 10 dias.
Transplante as plantas com um mínimo de 10 cm e com 4 a 5 folhas.
É recomendado fazer a desinfecção da raiz da couve, ela é muito susceptível à mosca da raiz, uma pequena larva branca que causa grandes danos à planta.
Plante as couves em compassos de 60 x 60 cm entre linhas e plantas.
Controle as lesmas e os caracóis no inicio da plantação, eles podem ser fatais às novas plantas.
Os coelhos são outra das preocupações a ter em conta, proteja as plantas pequenas usando uma garrafa sem base e sem topo, colocada à volta da couve.

Práticas culturais das couves


15 dias após a plantação aplique nitrato de cálcio.
O enxofre é um nutriente muito importante ao bom desenvolvimento da couve, na secunda cobertura aplique sulfato de amônio (contém 60% de enxofre).
Em pequenas hortas onde se dá preferência ao natural, opte por fertilizar com caldo de urtiga.
Regue generosamente, a couve é um legume que aprecia a água, o solo deve ser mantido húmido mas sem encharcar.
Controlar as ervas daninhas, de modo a que estas não entrem em competição com as couves.
Amontoar os caules da couve, de modo a impedir que os ventos fortes derrubem a planta.

Pragas e doenças da couve


A mosca da raiz é uma das preocupações, antes da plantação molhe a raiz das plantas com um insecticida recomendado por técnicos credenciado após o transplante, repita a operação 10 dias depois.
A couve é afetada pela lagarta da couve (de cor verde amarelado com pintas pretas), pulgão e mosca branca. Estas pragas podem ser controlados com insecticidas, contudo os repelentes naturais também podem ser uma boa opção sem os efeitos adversos.

Colheita da couve


Colha as folhas mais desenvolvidas da base da planta, deixe sempre 4  a 5 folhas no pé, de modo a que a couve continue o seu desenvolvimento normal.

Nomes populares: Couve galega, couve de cortar, 

1 comentário: