Prímula : Veja como a cultivar


As prímulas fazem parte da família Primulaceae são plantas perenes, de porte baixo e especialmente valorizadas pela suas belas flores que apresentam  uma vasta gama de cores e as tornam ideais na decoração de vasos, floreiras e jardins.
Apresentam um porte baixo, que normalmente se situa entre os 15 cm e os 30 cm, dependendo da espécie. Possuem folhas simples, arredondadas e cordiformes, com as margens ligeiramente dentadas,  agrupadas em formato de roseta. As flores surgem no fim do inverno e apresentam-se acima das folhas formando um aprimorado bouquet.
O género compreende mais de 500 espécies, sendo as mais comum a P. vulgaris, a P. aucaulis, P. malacoides, a P. obconica e a P. praenitens.

Cuidados a ter com a prímula


 Luz: A prímula aprecia locais iluminados, porém sem exposição solar directa, o ideal é um local de meia sombra.

 Temperatura- A temperatura ideal situa-se entre os 10º e os 15ºC. Acima dos 16º as flores da prímula começam a murchar mais depressa. Não tolera geadas, nem ar condicionado.

 Regas: A prímula necessita de um substrato húmido para oferecer uma floração abundante. Contudo deve ser evitado o encharcamento, que pode levar ao apodrecimento da planta. No cultivo em floreiras é recomendado colocar um prato com gravilha por baixo do vaso da planta, de modo a não permitir que as raízes entrem em contacto com a água e ao mesmo tempo manter um bom grau de humidade.

 Transplante:  Quando notar que as raízes saem dos orifícios dos vasos, transplante a planta empregando uma terra leve, rica em matéria orgânica e com boa drenagem. O ideal será escolher um substrato à base de turfa.

 Cuidados para manter a prímula florida: Apesar de perenes, elas devem ser tratadas como anuais, já que perdem a beleza após a floração, contudo com alguns cuidados é possível mantê-la florida porém sem a exuberância da floração inicial. Mantenha a terra húmida, adube regularmente e na fase de mais calor coloque-a num local húmido e sombrio do jardim.

 Fertilização: A planta deve ser fertilizada uma a cada duas semanas durante a floração com um adubo rico em azoto, fosforo e potássio.

Pragas e doenças: As prímulas podem se atacadas pela ferrugem, podridão cinzenta, afídeos e alguns tipos de lagartas.

 Poda: Retire as flores murchas e as flores amarelas da prímula, de modo a manter a saúde e o vigor da planta.

Aspectos sensíveis das prímulas


As folhas murcham e para o crescimento: Normalmente estes sintomas são indicativos de excesso de água ou de ambiente demasiado húmido.

As folhas amarelecem: Geralmente o amarelecimento das folhas das prímulas está associado a falta de nutrientes e esta condição piora após a floração.

Apodrecimento das folhas e dos ínvolucros das flores: Trata-se de um problema de bolar causado por excesso de humidade e falta de ventilação. Retire as partes afectadas e trate com um fungicida.

Multiplicação das prímulas


A multiplicação da prímula realiza-se por divisão de tufos. Esta operação é realizada no inicio da primavera a cada dois ou três anos.
A multiplicação também pode ser efectuada por sementes. Obtenha as sementes das prímulas e semeias numa bandeja de sementeira no final do verão, principio do Outono. Quando as pequenas prímulas alcançarem os 10 cm transplante-as para o local definitivo.

Curiosidades sobre a prímula


O nome prímula surge do latim primus, que significa primeiro e está relacionado com o facto de ser uma das primeiras flores a abrir após o inverno.

As prímulas têm uns pelinhos pequeninos que podem provocar alergias nas mucosas e nas peles mais sensíveis, como tal é recomendado o uso de luvas na hora de manuseá-las.

A prímula é também conhecida como pão e queijo, bras, rosas de páscoa, primavera, pão de leite, quejadilho.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...