Espada de São Jorge - Sanseviéria

A Espada de São Jorge é uma planta com origem na Africa, que pertence à família Asparagaceae. É conhecida como planta protetora e purificadora. Limpa e purifica o ar de vários poluentes e protege o ambiente que as circunda das energias negativas.

Ela é uma planta resistente que pode ser plantada em vasos, floreiras ou diretamente no jardim, sendo uma ótima escolha para os que não têm tempo ou paciência de cuidar as plantas. Com o tempo ela vai criando novos rebentos e alastrando, podendo até mesmo se tornar invasiva. O seu sucesso deve-se às suas folhas espessas e carnudas, que se assemelham a espadas, elas embelezam cantos e esquinas, além de criarem maravilhosos arranjos.

Como cuidar espada de São Jorge ou sanseviéria 


 Luz: A espada de São Jorge pode ser cultiva ao sol ou à meia sombra. Porem podem perder um pouco o contraste das cores em locais demasiado sombreados.

 Temperatura- As sanseviérias são bastante resistentes, adecuan-se a diferentes condições climáticas, contudo preferem o calor, sendo que a temperatura ótima situa-se entre os 18 e os 24º. Ressentem-se com temperaturas abaixo dos 10º.

 Regas: A água deve ser dirigida diretamente à superfície da terra, evitando molhar as folhas da planta. Procure regar apenas quando a terra se apresentar seca. No Inverno as regas devem ser reduzidas, principalmente em ambientes frios. Graças às suas folhas carnudas a sanseviéria pode resistir a longos períodos sem água.

 Transplante:  Quando o vaso se apresenta cheio de raízes, deve-se transplantar a planta, usando um substrato permeável e com o cuidado de não exceder as dimensões do vaso. A Sanseviéria é uma planta rustica, que se adapta a vários tipos de solo, desde que tenham boa drenagem, contudo preferem solos arenosos e ricos em matéria orgânica.

 Cuidados: Pode arrancar as folhas secas, amareladas ou manchadas. Remova o pó das folhas com pano seco, evite o uso de abrilhantadores.

 Pragas e doenças: A sanseviérica é uma planta resistente, porém em condições adversas poderá ser atacada por cochonilhas ou sofrer com a podridão. As cochonilhas manifestam-se como manchas algodoentas nas folhas e poderá eliminá-las passando um algodão embebido em álcool.

➢ Aspetos sensíveis: Geralmente o maior inimigo da sanseviéria é o excesso de água, manifesta-se com manchas castanhas, a murcha e o escurecimento das folhas.
A paragem do crescimento é outro dos sintomas e pode ser indicativo de raízes com demasiada água ou atmosfera fria e húmida.

 Floração: As suas inflorescências ocorrem geralmente no Verão, são longas em formato de espigas, sendo as suas flores brancas amareladas, perfumadas e pequenas.

Multiplicação da sanseviéria (Espada de São Jorge)


A sanseviéria multiplica-se facilmente em qualquer época do ano, pelas inúmeras mudas que rebentam junto à planta mãe.
Outra maneira muito usual, mas um pouco mais demorado é a multiplicação através de fragmentos da folha, ou seja corta-se um folha em vários pedaços transversais com 8 a 10 centímetros. Colocam-se na terra enterrando uns 2 centímetros, o único cuidado é colocar os fragmento na posição certa, ou seja, de baixo para cima. Ao fim de algumas semanas surgem as raízes e dão origem as novas plântulas, que surgem como plantinhas em miniatura, junto à base do fragmento. Poderá igualmente enraizar a folha inteira.

Curiosidades sobre a Espada de São Jorge


A sanseviéria é classificada como umas das plantas mais eficientes na purificação do ar, ela retira resíduos poluentes do ar como: benzeno, tricloroetileno, xileno, metanol (formol) e tolueno. Acrescenta ainda o facto de produzir oxigênio durante a noite.
Contudo apesar de toda a sua beleza e funcionalidade ela é uma planta toxica, recomenda que seja afastada de crianças e animais. Os principais sintomas de intoxicação manifestam-se por dificuldade de movimentos, respiração e salivação excessiva.

No mundo mistico acredita-se que a espada de São Jorge têm a capacidade de proteger e purificar os ambientes que a rodeiam, a faculdade de afastar a inveja, o mau olhado e trazer a prosperidade. É recomenda a sua colocação na frente das casas com o fim de afastar as energias negativas. Na frente das lojas atrai prosperidade, dinheiro e abundancia. Se procura plantas de fácil cultivo e que atraem a sorte, veja também: (Planta de jade - Crassula ovata)

As variedades de sanseviéria mais comuns são:
➢ S.trisfasciata: Apresentam folhas espessas estreitas e comprida, com 30 a 60 cm. De cor verde escuro e jaspeadas de cinzento prateado.
➢ S.trisfasciata Laurentii: As folhas são semelhantes à anterior, porem acrescentam uma orla amarela.
S. trifaciata Argentea: Folhas um pouco mais compridas que as precedentes com 40 a 60 centímetros. São espessas, estreitas, de cor cinzo prateado.
➢ Golden Hahnii: Pequena planta com folhas dispostas em roseta. As folhas apresentam banda central verde e laterais cremes.

.Nomes populares: Espada de São Jorge, Sanseviéria, Sansevérica,  Espada de Santa Barbara, Palma de São Jorge, língua da sogra ou rabo de lagarto. 

Arália ou Fatsia japonica

A Arália (Fatsia japonica) é uma planta atraente e particularmente resistente, que pertence à família Arilaceae.

Apresenta uma linda folhagem e pode desenvolver-se tanto no interior como no exterior. Do seu caule ereto e semi lenhoso, surgem as folhas de tonalidade verde escuro, fortemente lobadas, que podem alcançar os 30 centímetros de largura.

As inflorescências da Arália aparecem no Outono. As flores são agrupadas em jeito de pequena esfera, de cor branco creme, das quais surgem aglomerados de pequenas bagas pretas carnudas não comestíveis.

Como cuidar a Arália (Fatsia japonica)



 Luz: Apesar de suportar a exposição solar direta a Arália cresce melhor em espaços sombrios e húmidos. O excesso de sol pode provocar o amarelecimento e queimadura das folhas. A Fatsia japonica var. variegata é uma outra variedade que apresenta manchas brancas na ponta das folhas e precisa de maior exposição solar para manter o contraste de cores.

 Temperatura- É tolerante ao frio e a geadas ligeiras. Apesar de ser uma planta relativamente resistente a várias temperaturas, a arália encontra as condições ótimas entre os 5 e os 10º no Inverno e os 15 e os 18º no Verão. As temperaturas baixas levam á perda da cor das folhas e posteriormente à sua queda, mas depois da planta ser reposta às condições ideais, elas voltam a rebentar.

 Regas: A irrigação deve ser regular nos meses mais quentes e deverá ser reduzida no inverno. A Arália aprecia o solo húmido, sendo recomendada a rega antes que este seque por completo. Em climas secos é recomendado fazer pulverizações foliares com água da chuva ou de nascente.

 Transplante: Apesar de a Fatsia ser uma planta que alcança  tamanhos consideráveis, não se deve exagerar no tamanho do novo vaso. Pode ser cultiva em vários tipos de solos, desde que sejam ricos em matéria orgânica e apresentem boa drenagem. Não tolera solos demasiado secos ou encharcados.

 Fertilização: Durante o período de crescimento acrescente adubo liquido indicado às plantas de folhagem na água da rega, com intervalos de 15 dias.

 Poda: Com o tempo a arália tende a perder folhas nas partes inferiores, ficando com aspeto um pouco desgrenhado. É recomendado o corte dos troncos de modo a promover nova rebentação e garantir a densidade desejada. Depois do corte recomenda-se a aplicação de enxofre em pó para favorecer a cicatrização da incisão.

 Cuidados: Não deixe acumular o pó nas folhas da planta. Devido ao tamanho das suas folhas, é muito fácil remover o pó, basta passar uma esponja ou pano húmido regularmente.

 Pragas e doenças: A presença de folhas pegajosas e deformadas, é um forte indicio de que a arália está a ser atacada por pulgões, cochonilha ou ácaros. Eles sugam a seiva e enfraquecem a planta. Passe as partes afetas com um algodão embebido em álcool, ou aplique uma solução natural (Inseticida de bicarbonato de sódio).

Multiplicação da Arália


A panta pode ser multiplicada por semente, por estaca, pelos rebentos laterais ou mergulhia aérea. Seja qual for o método a propagação é muito fácil, contudo a utilização dos rebentos laterais é o processo mais rápido.

Sementeira:  Na Primavera semeie as sementes que o próprio exemplar produz durante o inverno. Escolha um substrato ligeiro e mantenha em local protegido com temperaturas entre os 10 e os 15º. As novas mudas devem ser replantas e colocadas em ambiente protegido até alcançarem alguma resistência.
Estacas de caule: Aproveite as estacas da poda, elimine as folhas basais e plante num sustrato leve, com o cuidado de o manter húmido. Poderá facilitar o processo usando um enraizador: (Hormonas de enraizamento caseiras)
➢ Rebentos laterais: Este procedimento é muito simples, retirem-se as pequenas plantas que surgem à volta do tronco da planta mãe. Faz-se com ajuda de uma faca, com o cuidado de retirar algumas raízes e facilitar o pegamento.

Curiosidades sobre a Arália


A maior vantagem de ter uma arália, é o facto de ela dificilmente ficar doente e exigir poucos cuidados, sendo uma boa opção para quem não têm muito tempo.

A variedade Fatsia elegantíssima, também denominada por Arália falsa ou Arália elegante, apresenta folhas palmadas de tonalidade verde, compostas por 10 folíolos muito recortados.

Nomes populares: Arália, arália japonesa, fátsia.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...