Guia dos Cactos e das Suculentas

Como cuidar Cactos e Suculentas
Os cactos e as suculentas são plantas que exigem pouco e oferecem muito. São resistentes à maioria das condições e permitem ser cultivados até pelos que não possuem muito tempo livre.

Já foi o tempo em que os cactos e as suculentas não eram apreciados, eram considerados vulgares e pouco interessantes. Hoje estão em alta, são apreciados e valorizados pelas variedade de cores, texturas e formas. São tão versáteis, que podem ser usadas nos mais diversos tipos de decoração.

Os cactos e suculentas permitem-nos alargar  a imaginação, com alguma criatividade podemos dar origem a arranjos incríveis. E é muito simples fazer estas misturas, basta juntar cores, texturas e formatos, colocá-los em qualquer tipo de contentor como: louça, vidro, terrários ou outro tipo de objetos e obtêm-se facilmente um arranjo espetacular.

Como cultivar cactos e suculentas 


Luminosidade: A maioria das suculentas aprecia iluminação solar direta, pelos menos 6 horas diária. Dentro de casa, procure colocá-las em janelas ensolaradas ou outros locais onde elas possam receber o máximo de luz possível. Elas não vão sobreviver em locais sombrios como: casas de banho ou prateleiras internas, salvo algumas exceções como: Ripsális ou cato macarrão, hatiora, dama da noite, entre outras.
Se a planta começar a mostrar sinais de estiolamento,  a crescer para cima de um modo desequilibrado e as folhas começarem a alongarem, significa que a suculenta está recebendo pouco sol.

Escolha do vaso: É importante escolher vasos furados que permitam uma boa drenagem da água. Contudo se escolher recipientes sem furos: Coloque 2 a 3 cm de gravilha ou argila expandida no fundo do recipiente, cubra com um geotêxtil e disponha  o substrato por cima. Esta medida ajuda a proteger a base da planta do excesso de humidade, que pode levar ao apodrecimento das suas raízes. O tamanho do vaso é decisivo no tamanho da suculenta, ou seja ela vai crescer de acordo com o espaço que têm disponível. Em vasos pequenos as suculentas permanecerão pequenas, em vasos grandes conseguiremos plantas de maior porte.

Substrato: Os cactos e as suculentas são maioritariamente de origem desértica, apreciam solos leves, muito porosos e altamente drenáveis. A melhor maneira de conseguir condições parecidas é misturando areia no substrato, pode ser areia de construção lavada ou de rio, não deve ser usada areia vinda de praias do mar. 

Rega: Regue apenas as suas suculentas quando a terra se apresentar seca. Se usar prato debaixo do vaso, certifique-se que ele não acumule água. Esta é uma regra de ouro, geralmente o excesso de água é o principal fator associado ao fracasso do cultivo de suculentas. Ao contrário das outras plantas, quando as folhas das suculentas murcham indicam que ela está apodrecendo por excesso de água.

Adubação:  Forneça um adubo indicado a plantas suculentas e faça-o apenas na Primavera e no Verão, uma vez por Mês. Adicione cálcio,  as plantas de sol forte necessitam de um maior aporte de cálcio, ele permite deixar os caules e as folhas das suculentas mais resistentes. Poderá encontrar este nutriente em abundancia na casca de ovo triturada (Uso da casca de ovo nas plantas).

Manutenção: As suculentas não necessitam de podas, porém convém sempre remover folhas secas, partes secas ou murchas, de modo a permitir um desenvolvimento vigoroso e saudável.

Multiplicação: A capacidade de sobrevivência destas plantas, verifica-se até no modo de propagação. Na natureza as folhas que caem da planta mãe caem no chão, ganham raízes e formam novas plantinhas. Em casa podemos adotar este mecanismo e dar origem a novas plantas de uma forma prática e econômica: (Como multiplicar as suculentas). Esta técnica não se aplica a cactos.

Qual a diferença entre cactos suculentas?


Um cato é uma suculenta, mas nem todas as suculentas são cactos.
As suculentas são plantas que se adaptaram a viver em condições extremas. A exposição a ambientes agrestes levou-as a desenvolverem mecanismos de sobrevivência como sistemas de redução da perda de água e a capacidade de armazenar grandes quantidades de água,  deste modo elas conseguem sobreviver a longos períodos de seca. Em condições extremas, elas são capazes de minimizar o gasto de energia, parrando o crescimento e ficando inativas.
Os cactos são um subgrupo dentro das suculentas, no seu habitat natural vivem em condições extremamente agreste, com uma grande discrepância de amplitudes térmicas que podem ir do -20º  aos 50ºC, estas condições obrigam-nos a aprimorar os mecanismos de sobrevivência. Eles possuem aréolas, pequenos orifícios salientes por onde nascem rebentos, espinhos e flores. Os espinhos protegem-nos dos predadores, reduzem a circulação de ar pela planta, permitindo reduzir a perda de água, amenizam a intensidade do sol e do frio noturno.

Curiosidades dos cactos e suculentas


Os cactos e suculentas cultivados em condições inadequadas de temperatura ou água, são mais suscetíveis a desenvolverem doenças fúngicas como a ferrugem. o fungo penetra na pele da planta, agride os tecidos que acabam por ficar moles e a suculenta acaba por ficar preta. Nestas situações as partes pretas devem ser descartadas e as partes saudáveis devem ser replantadas num novo subtrato.

Os cactos e suculentas subdividem-se em dois grupos
Plantas do deserto: Gostam de sol direto e sobrevivem com pouca água
Plantas da floresta: Preferem sombra e alguma humidade atmosférica.

O nome cacto, deriva do grego que Káktos, que quer dizer planta espinhosa. 

Sem comentários:

Enviar um comentário