Orquídea Oncidium

Cuidar de Orquídea Oncidium
A orquídea oncidium pertence à família Orchidaceae. Na natureza elas crescem nas árvores, mas também podem ser encontradas a crescer nas rochas ou no solo. Não são plantas parasitas, apenas utilizam os hospedeiros como suporte.
Os pseudobolbos das orquídeas oncidium  têm a forma de gota achatada, eles suportam as folhas e armazenam os nutrientes e a água. Quando novos eles são lisos e vão ficando mais enrugados à medida que envelhecem.

A grande maioria das oncidims florescem no inicio da Primavera. As flores são pequenas e delicadas, algumas têm o labelo maior que o resto da flor. As tonalidades variam do branco, rosa, castanho e amarelo por vezes tigrado.

Como cuidar a orquídea oncidium


Condições ambientais: Aprecia uma boa circulação de ar, esta orquídea não gosta de estar abafada, nem gosta de ser colocada no meio de outras plantas. A oncidium têm as folhas finas, se ela receber sol têm grandes probabilidades de queimar, coloque-a num ambiente de meia sombra, sem a incidência de sol. Ela aprecia uma boa humidade ambiental, principalmente à noite, pulverize a planta no fim do dia.

Solo ideal: A oncidium não quer substrato pesado, ele têm de ser bem arejado. Na natureza geralmente as orquídeas que apresentam pseudobolbo são epífitas, ou seja crescem nas árvores, então o substrato deve-se assemelhar à casca das árvores. Encontramos estas características na numa mistura de casca de pinheiro, carvão e uma pequena percentagem de musgo.

Rega da oncidium: Estas orquídeas têm a raiz muito delicada e fina, se ela ficar encharcada apodrece muito facilmente. Então a rega deve ser feita com moderação e com pouca água.

Carências das oncidium: Se as folhas da sua oncidium apresentarem partes frisadas, é sinal de falta de cálcio (Ca).
Quando as pontas das folhas da planta secam, é indicativo de falta de fosforo (P).
Quando as folhas mais antigas amarelecem, é sinal de falta de nitrogénio (N). Mas se forem todas as folhas independente de serem novas ou velhas pode ser falta de fosforo (P).

Transplante da Oncidium


Evite transplantar a orquídea após a compra dela. A planta ao mudar de local vai sofrer o stress de adaptação e fica debilitada, se a mudar imediatamente de vaso ela vai sofrer outro stress e dificilmente sobrevive.

A melhor altura para o transplante é após a floração. Comece por retirar os atilhos que ligam a haste floral aos tutores. Depois corte a haste floral rente à base e retire os suportes. Retire o raizame do vaso e delicadamente remova o substrato que envolve as raízes e corte as partes secas. Use um substrato poroso para o novo reenvasamento ao qual poderá acrescentar pedaços de carvão e casca e pinheiro. Preferira os vasos de barro, as oncidium não toleram as raízes húmidas por muito tempo e este tipo de material permite um melhor escoamento da água. Se usar vaso de plástico, faça alguns furos nas laterais com ajuda de barbequim, de modo a permitir um melhor arejamento das raízes.
Poderá também colocar a planta  sobre o tronco de uma árvore ou sobre um pedaço de madeira nobre.

Com o tempo é normal que as raízes desta orquídea cresçam para fora do vaso, não há problema nenhum, quanto mais as raízes ficarem expostas, melhor, não podemos esquecer que elas são plantas epífitas.

Curiosidade sobre as Oncidium


Apesar dos invernos frios, também é possível cultivar oncidium em Portugal, sobre os troncos das árvores. Devem-se escolher árvores que não percam a folha e que permitam manter as orquídeas protegidas das geadas.

É muito comum aparecerem umas pintas nas folhas de oncidium, é uma caraterística deste tipo de orquídeas, principalmente do oncidium chuva de ouro e cherry lady (orquídea chocolate). Há até quem diga que sem estas pintinhas a planta não floresce.

Na presença de doenças fúngicas é comum aplicar fungicidas á base de cobre nas orquídeas. Nunca façam isso nas oncidium, elas não toleram o cobre.

As oncidium representam cerca de 600 especies espalhadas pelo mundo, sendo as variedades mais populares a chuva de ouro e a sharry baby (uma variedade perfumada com odor a chocolate).


Poderá também gostar de: 

Cultivo da Nogueira (Juglans regia)

Cultivo da Nogueira Juglans regia

A nogueira comum  Juglans regia, pertence à família Juglandaceae. É uma árvore caduca de longa longevidade, nativa da Europa e da Asia, que vive em média 300 a 400 anos, mas quando se apresenta em boas condições consegue ultrapassar largamente esta média.
É valorizada pelos seus deliciosos frutos (nozes) e pela sua madeira de excelente qualidade.
O fruto da nogueira é vulgarmente conhecido apenas pelo nome de noz, mas também pode ser denominado por noz persa ou noz inglesa.

Condições favoráveis ao cultivo da nogueira


A nogueira é uma árvore frutífera de grande porte, requer muito espaço, atingindo em média altura de 7,5 metros em 20 anos. A sua raiz é profunda e pivotante, ou seja, têm uma raiz principal que se distingue facilmente das secundárias. Recomenda-se uma distancia de 10 a 12 metros de distancia de outros exemplares.
Aprecia terrenos profundos, ricos em matéria orgânica, ,húmidos mas com boa drenagem, a nogueira não suporta o encharcamento. O pH ideal situa-se entre os 6,5 e os 7,5.

Poderá plantar a nogueira por via da semente ou poderá escolher uma árvore com qualidade reconhecida adquirida num viveiro.
As nozes precisam de período de frio para estimular a germinação, devem ser semeadas no Outono para permitir a germinação na Primavera. O buraco deve ter apenas a profundidade suficiente para  cobrir a noz. No primeiro ano a pequena nogueira vai atingir entre 30 a 60 centímetros.

Manutenção da nogueira


Mantenha a terra livre de infestantes à volta da árvore, principalmente nos primeiros 4 anos. Após este período poderá simplesmente manter as ervas controladas por capinas, deixando ficar os desperdícios que constituem um bom aporte de matéria orgânica.

As nogueiras apreciam regas do final da Primavera até ao final do Verão, embora sejam cultivadas em modo sequeiro na produção familiar, mas com um rendimento inferior. As regas permitem o  melhor desenvolvimento das árvores, melhoram a produção e a qualidade das nozes.

A nogueira praticamente dispensa a poda, quando existe têm como objetivo favorecer a entrada de luz, a eliminação de ramos secos e doentes. Geralmente a árvore é cultivada sob a forma normal de guia central.

Floração e frutificação da nogueira


Uma árvore que não produza frutos e que apresente um desenvolvimento atrofiado, pode estar a sofrer uma carência nutricional, motivada pela falta de adubação, falta de água, sombreamento excessivo ou incidência de doenças e pragas. Em contrapartida uma nogueira com excesso de vigor também leva à ausência de frutificação, geralmente é ocasionada por podas severas, enxertia em cavalo vigoroso ou excesso de azoto.

A nogueira é uma árvore de crescimento lento, só produz fruto após 5 a 10 anos e atinge o seu pico de produção mais ou menos aos 30. Esta frutífera têm tendencia a dar boas produções a cada dois anos, sendo as produções intermédias inferiores.

A nogueira é uma especie monoica, ou seja, apresenta flores masculinas e femininas separadas. A floração manifesta-se antes das folhas, as flores masculinas surgem nos ramos do ano anterior, 5 a 10 dias antes das flores femininas. Agrupam-se numa inflorescência comprida, cilíndrica e pendente,chamada de amento ou amentilho. As flores femininas surgem no topo dos ramos do ano e são quase imperceptíveis, são esféricas e discretas.

A maturação dos frutos dá-se no inicio do Outono. As nozes apanham-se varejando a árvore e recolhem-se do chão à medida que vão caindo. Apos a apanha, deve-se efetuar o descasque, retirando o invólucro que as envolve. Esta operação deve ser realizada o mais cedo possível, caso contrário a remoção torna-se difícil. Em condições normais de armazenamento as nozes aguentam 10 a 11 meses, desde que não sejam lixiviadas.
Atenção: Os invólucros das nozes mancham a pele e as roupas, recomenda-se o uso de luvas na sua manipulação. 

Curiosidades sobre a nogueira


Tenha em conta que a nogueira, principalmente a nogueira preta Juglans nigra (indicada à produção de madeira) pode prejudicar o desenvolvimento de algumas plantas como: batateira, tomateiros, mirtilos, pinheiros, macieiras, entre outros.

Em Portugal temos vários tipos de árvores que fazem parte da historia do país e que se destacam de outras da mesma especie pela idade, porte, interesse histórico e raridade. No caso da nogueira sobressai uma árvore monumental no distrito de Bragança, concelho de Vinhais, freguesia de Paçó, na localidade de Quintela: Refª KNJ1/394. Saiba mais sobre o assunto no: Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas

Veja também outros artigos relacionados com: Árvores e plantas de frutos.
Visite-nos no: Facebook
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...