Cultivo da salsa

Cultivo da salsa

A salsa (Petroselinum Sativum) é cultivada há mais de 300 anos, hoje é uma das plantas aromáticas mais utilizadas na cozinha mediterrânica e na maioria dos pratos que levam azeite e vinagre. Na área da saúde ela também lança as suas cartadas, é rica em diversos nutrientes e contém propriedades importantes. Veja aqui os pormenores: (Benefícios da salsa)
Na horta ela é uma excelente companheira para os outros vegetais, ela afasta a mosca da cebola e da cenoura.

A salsa é uma planta bienal, demora aproximadamente 24 meses a completar o seu ciclo, no primeiro ano emite as folhas frescas e tenras, no segundo ano começa a emitir um galho que vai dar origem ás flores e posteriormente ás sementes.
O seu cultivo é bem fácil e permite ter sempre à mão um pésinho de salsa, seja num cantinho do jardim ou num vaso no peitoril da janela, bastam apenas 20 cm de profundidade para ela se desenvolver em boas condições.

Local e condições de cultivo da salsa


A salsa aprecia solos férteis, ricos em matéria orgânica, com boa drenagem e ligeiramente ácidos ou seja com o pH entre os 5,5 e os 6,7.

A salsa suporta bem as flutuações de temperatura e dá-se bem numa grande variedade de climas, porém é no clima ameno entre os 10º e os 22º, que ela encontra as condições ideais.

Adapta-se a locais ensolarados ou de sombra parcial, contudo deve-se proteger dos da luz solar directa nas horas de maior calor.

Sementeira da salsa


Deve ser preferencialmente semeada directamente no local definitivo, ela não gosta de ser mudada, contudo é possível fazê-lo. Para o efeito semeie a salsa em recipientes pequeno e individuais, de modo a não desfazer o torrão de terra na hora do transplante.

Coloque as sementes separadas e cubra-as com uma camada fina de terra.
Um dos factores mais importantes para uma boa germinação das sementes de salsa é a humidade. Durante o processo de germinação, que leva aproximadamente de três a cinco semanas consoante as condições climáticas, as sementes nunca devem secar.

Tratos culturais da salsa


A salsa é uma planta com fraca tolerância à falta de água, regue com frequência mas com alguma moderação na quantidade, de modo a manter o solo húmido, mas sem encharcamento sob o risco de se criarem fungos.

Como já foi descrito acima,  a salsa ao fim de um ano começa a espigar, a partir dai deixa de haver as folhas frescas e tenras para comer, contudo pode ir cortando as hastes florais de modo a atrasar o processo.

As principais doenças que afectam a salsa são o míldio e a septoriose e a praga principal são os afídios. A melhor forma de de prevenir será o arejamento, o controle das infestantes e a rotação da cultura.

Elimine as ervas daninhas, de modo a que estas não entrem em competição com a salsa. Em épocas de geadas resguarde a planta.

Colheita da salsa


A colheita da salsa dá-se aproximadamente 60 a 90 dias após a sementeira, dependendo das condições climatéricas. As folhas devem ser recolhidas por inteiro, ou seja as folhas juntamente com o pecíolo. Procure não colher mais de um terço das folhas.


Se pretende obter semente, deixe o processo se concretizar numa planta, depois da parte floral secar, corte a cabeça com as sementes, esfregue segurando o talo e as cabeças entre as mãos, de moda a separar as sementes e guarde-as em local escuro e seco até à nova sementeira.

1 comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...