Cultivo da Romãzeira - Punica granatum

Cultivo da Romãzeira - Punica granatum
A romãzeira (Punica granatum), pertence à família Punicaceae e têm origem no Sudeste da Europa e Médio Oriente. É uma árvore de fruto rustica cultivada há mais de 2000 anos, que se destaca pela longevidade, facilmente atingem os 90 a 100 anos.

Caracteriza-se como uma pequena arvoreta ou arbusto ramoso, que atinge entre os 3 e os 6 metros quando plantada no jardim. Os ramos possuem tonalidade cinzenta, por vezes espinhosos, os ramos  novos nascem com coloração avermelhada e vão mudando de cor à medida que envelhecem. As folhas são caducas, ligeiramente lanceoladas, de tonalidade verde brilhantes, lustrosas na página superior.

É uma árvore distinta pelo aspeto das suas lindas e exuberantes flores vermelho alaranjadas, que podem ser solitárias ou em grupos de 2 ou 3. Os frutos, as romãs, são esféricos e apresentam casca coriácea, chamam atenção pelo seu aspeto exótico e pode ir da tonalidade amarelada a avermelhada, atingem aproximadamente o diâmetro de 12 centímetros e estão recheadas de muitas sementes envoltas numa polpa translucida liquida e adocicado, reconhecidas pelas suas largas capacidades medicinais (Benefícios da romã). 

Solo e localização ideal da romãzeira  


A romãzeira pode ser cultivada em vários tipos de solos, desde que apresentem boa drenagem e boa profundidade. Contudo a árvore prefere solos férteis, profundos e ricos em matéria orgânica. Adapta-se bem em pequenos jardins ou em cultivo de vaso ou jardineiras. Tolera moderadamente a salinidade e a seca.

Quando cultivada em vaso, certifique-se que ele tenha um tamanho superior a 40x60 centímetros, aplique uma boa drenagem no fundo. Nesta condição a romãzeira deve ser regada e adubada com maior frequência. Geralmente neste modo de cultivo é escolhida a variedade anã (Punica granatum nana).

A romãzeira prefere um clima ameno, porém adapta-se a várias condições, suporta inclusive o frio dos invernos rigorosos, porém é suscetível às geadas tardias.
Necessita de uma boa exposição solar, a romãzeira só frutifica adequadamente se receber luz solar direta em grande parte do dia, no minimo 4 horas diárias.

Floração e frutificação da romãzeira


Geralmente a romãzeira inicia a produção 3 a 4 anos após a plantação. Em Portugal a floração dá-se no fim da Primavera ao Verão e o amadurecimento das romãs ente Outubro e Novembro. Conforme as romãs começarem a madurecer, vá colhendo-as antes que a casca abra fissuras, deste modo elas poderão se conservar durante várias semanas.

A adubação de Outono é essencial para uma boa floração. A adubação deve ser rica em fosforo, a proporção ideal de nutrientes é de 4-14-8, ou seja 4 de nitrogénio, 14 de fosforo e 8 de potássio. Não adube a romãzeira durante a floração. Como forma de adubação natural poderá usar húmus de minhoca e cinzas de madeira, elas são ricas em fosforo, potássio e cálcio. (Benefícios da cinza na agricultura).

A romãzeira aprecia temperaturas quentes na época de maturação, simultaneamente com alguma humidade no ar e no solo. As regiões de ventos fortes penalizam a frutificação da planta, pela queda excessiva da flor. O excesso de humidade propicia o aparecimento de fungos na casca da romã.

Como plantar e cuidar a romãzeira


A época ideal de plantação é na altura do repouso vegetativo. Abra uma cova com 60x40 centímetros, e enriqueça com estrume de curral curtido. Aconchegue a terra ao trona da, romãzeira e regue-a de imediato, isso permitirá que o solo se ajuste melhor à raiz.

Remova as ervas daninhas ao redor do pé da romãzeira, não permita que elas roubem os nutrientes à planta. Coloque uma camada de mulching à volta do tronco, ele retem a humidade do solo, aumenta a fertilidade  e reduz o aparecimento das ervas daninhas.

Regue generosamente a romãzeira, tal como a maioria das árvores de fruto ela aprecia um bom aporte de água, mas tenha em atenção de que ela não gosta de solos encharcados.

A romãzeira pode ser mantida na forma de pequena árvore ou de arbusto. No Inverno faça uma poda de limpeza, desbaste os ramos, de modo a arejar a copa e permitir a entrada de luz. Corte os rebentos que se formam junto à base e raspe os musgos que se formam nos troncos. .

Curiosidades sobre a romãzeira


A romãzeira multiplica-se por semente, por estaca de pontas ou pelos rebentos que surgem à volta do troco da planta mãe. A multiplicação por estaca realiza-se na época de dormência, logo após a queda das folhas. A propagação por estaca garante uma frutificação mais precoce e possibilita que as plantas obtidas tenham maior semelhança com a planta mãe.

A romãzeira é cultivada atualmente em mais de 100 países, sendo a Espanha um dos maiores produtores do mundo. Em Portugal a maior concentração de árvores de romã encontra-se no algarve, que gera entre 80% a 95% da produção nacional, contudo a produção não é autossuficiente. A maioria das romãs encontradas no mercado nacional provém da Espanha. As variedades mais comuns no continente português são: Mollar, Mollar de Elche, Dejativa e Asseria.

A valorizarão da romã é milenária, aparece nos textos bíblicos, onde é associada à paixão e à fecundidade. Está associada a rituais e simpatias para atrair a prosperidade no Ano Novo.

Nomes populares: Romãzeira, romanzeira, romanzeiro, romeira, romeira da granada, grenadier (francês), pomegranate (inglês), granada (espanhol).

Sem comentários:

Enviar um comentário