2.20.2015

As doenças dos coelhos



Os coelhos são muito sensíveis a inúmeras doenças, embora nem todas sejam fatais é preciso ter alguns cuidados e dar tratamentos atempados. Muitas dessas doenças são facilmente diagnosticadas.



Saiba como cuidar dos seus coelhos e como conhecer as doenças mais comuns


Doença hemorrágica viral

Trata-se de uma doença infecciosa que afecta os coelhos e que é provocada por um calicivírus. A doença hemorrágica víral ( DHV ), é uma doença altamente contagiosa, tanto via directa como indirecta. Todo e qualquer objecto contaminado poderá ser a causa de nova epidemia quando não desinfectado correctamente, mesmo após a eliminação dos animais contaminados.
A mortalidade entre os animais afectados por esta patologia situa-se entre os 50% e os 100%. Normalmente morrem com hemorragia nasal ou por outros orifícios naturais. Estes sintomas dão-se aproximadamente 48 horas após a contaminação. Os sobreviventes podem ser portadores do vírus por um mês.
A vacinação é a melhor forma de controle.

Mixomatose

A mixomatose é uma doença infecto contagiosa que é originada por um
vírus e que se transmite directamente. Os insectos sugadores de sangue, como as pulgas e mosquitos são os principais vectores para a transmissão da mixomatose. Após a contaminação os sintomas aparecem normalmente entre 5 a 7 dias. Os sinais principais são edema generalizado,  principalmente na cabeça à volta dos olhos e das orelhas. Esta doença apresenta uma taxa muito alta de mortalidade, acima dos 90%.
A melhor forma de prevenção passa pela vacinação e controle de insectos. Mais sobre mixomatose

A disenteria

As disenterias podem ter causas diversas, pode ser um sintoma comum a várias doenças. Aparecem principalmente na época de desmame. Por norma são provocadas por excesso de pastos verdes, alimentos fermentados ou sujos. Também o calor intenso, o excesso de humidade ou até parasitas intestinais podem ser responsáveis por esta patologia.

Sarna auricular

A sarna é provocada por ácaros que causam um grande desconforto e podem alcançar uma grande extensão. O ácaro responsável por esta doença aloja-se por baixo da pele do coelho e alimenta-se do seu sangue. Esta situação provoca sérias irritações, com aparição de crostas, perda de pelo, pele rugosa e inchada.
Se o coelho abana excessivamente a cabeça e apresenta umas manchas acastanhadas com crostas nas orelhas, nas patas ou noutras partes do corpo, poderá ser um sinal desta doença. Os animais infectados tornam-se fracos e perdem peso muito rapidamente. Quando não tratada a tempo a sarna pode levar à morte do coelho
Este problema é muito comum em coelhos pode ser tratado com uma grande opção de remédios disponíveis testados e comprovados, à venda em farmácias ou locais apropriados.  Como se trata de uma doença muito contagiosa deve separar o coelho afectado dos outros e examinar os animais periodicamente.

Coriza

Esta doença é caracterizada pelo aparecimento de corrimento nasal e espirros, podendo também apresentar febre e falta de apetite. As causas mais prováveis para o aparecimento da coriza são as mudanças bruscas de temperatura, correntes de ar, humidade e poeiras. Também a alimentação incorrecta e a falta de higiene nas coelheiras podem provocar esta sintomatologia. Conforme o caso pode ser benigna ou infecciosa. No decorrer da doença e no seu possível agravamento, o coelho irá apresentar um corrimento nasal aquoso, que vai progredir para um corrimento mucoso e espesso que ao aderir à ração do animal, forma uma massa consistente que pode obstruir as narinas do coelho e causar a sua morte por asfixia.

Coccidiosis hepática

Coccidiosis hepática, é uma das doenças mais comum nos coelhos, principalmente nos mais jovens e que pode levar à morte dos mesmos em semanas.
os animais sobreviventes desta patologia, frequentemente tornam-se portadores, tornando-se propagadores ao eliminar o micróbio da coccidiosis pelas fezes. Deste modo as possibilidades de contaminar outros animais ou até o próprio tratador são fortes.
Os sintomas dos coelhos infectados passam por diarreia, pelo arrepiado, falta de apetite, tristesa, ventre dilatado e perda de peso. Ao abrir um coelho morto, é visível o fígado aumentado e salpicado de pontos branco amarelados.
Para reduzir os riscos do aparecimento da Coccidiosis, convêm localisar a coelheira num local seco e arejado, efectuar limpezas e desinfecção diárias. Evitar o contacto do coelho com os excrementos, a água e a ração devem ser mantidos limpos.

2 comentários: