Cacto estrela - Stapélia Hirsuta

Cuidados com o Cacto estrela Stapélia Hirsuta
O cacto estrela (Stapelia hirsuta), também conhecido por estapelia, pertence à família das Asclepiadaceae. Apesar do nome e do aspeto, esta planta não é um cacto, é uma suculenta. Têm uma particularidade invulgar, oferece uma bonita flor aveludada, em forma de estrela de 5 pontas, que libertam um odor nauseabundo, fazendo lembrar a carne em decomposição. A finalidade é atrair polinizadores como moscas, a mosca varejeira e o besouro, que ao pousarem na planta, transportam o pólen de uma flor para o ovário de outra.  Na verdade estes inseto são "enganados" pela flor, são atraídos pelo cheiro e convencidos que encontraram uma fonte de alimento para as suas larvas, ai depositam os seus ovos. Em pouco tempo a flor fecha com os ovos dentro, que acabam por não eclodir. O cacto estrela acaba por ser uma planta interessante no controle da mosca varejeira.

O cacto estrela é originário da África do Sul, é uma sobrevivente que cresce num ambiente rústico, onde se alastra rapidamente no chão e cria a aparência de tapete. As hastes também têm grande valor ornamental, são carnudas, ostentam 4 faces e na interceção são meio serrilhadas, mas não apresentam espinhos.

Como cuidar do cacto Estrela (Stapelia hirsuta)


Luz: Gosta de sol pleno, porém tolera um ligeiro sombreamento. Se não receber luz suficiente o cacto estrela não floresce.

Rega: Ao contrario da maioria das suculentas, o cacto estrela aprecia regas regulares, contudo deve evitar os excessos.

Temperatura: O cacto estrela oferece alguma resistência ao frio e ao calor, porém em invernos demasiado extremos, convém resguardar a planta.

Floração: Geralmente inicia no Verão e estende-se até ao Outono. Os botões florais também são chamativos, parecem umas pequenas pirâmides que vão abrindo lentamente até alcançar a plenitude de uma das flores mais bonitas, porém de pequena duração.

Solo: O cacto estrela aprecia o substrato indicado a cactos e suculenta, porém também se desenvolve bem noutros tipos de solos, desde que ofereçam uma boa drenagem.

Multiplicação: O cacto estrela multiplica-se facilmente por estaca ou por divisão de touceira ou por semente. A propagação por estacas deve ser efetuada durante o período de crescimento ativo, de modo a garantir um bom enraizamento. É recomendado deixar a estaca a cicatrizar num local à sombra, por uns dois dias antes de plantar.
As sementes levam aproximadamente 1 ano a amadurecer, mas germinam rapidamente após a sementeira.

Pragas: A cochonilha é um dos problemas mais comuns do cacto estrela, geralmente atacam os caules subterrâneos e a base superficial. Geralmente um jato de água pode ajudar, em casos mais severos limpe as partes contaminadas com uma solução de água com álcool metilado, á razão de 50/50.

Onde plantar: Pela sua resistência, cacto estrela pode ser plantado de várias formas, em vaso ou diretamente no solo. É ideal para jardins de pedra onde combina muito bem com outras plantas do mesmo género. Pode ser colado no interior ou exterior, contudo quando colocado dentro de casa, deve ter em atenção o mau cheiro que a flor exala ao abrir, há inclusive quem corte o botão com o fim de prevenir os odores desagradáveis.

Nomes comuns: Flore estrela, estrela do mar africana, flores de carniça, flor carniça, planta sapo, cacto estrela do mar, estapélia.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...